Direito de amar e de existir

Hoje é dia dos namorados e quem está junto do seu amor, seja muito feliz e aproveite do privilégio em estar com quem se gosta. Quem não tem um amor, seja feliz com quem você gosta, ou você mesmo, porque: “If you can´t love yourself, how in the hell you gonna love somebody else?” (Se você não pode se amar, como vai amar outra pessoa” – Amém, RuPaul).

Daí você acorda em um domingo, esperando ver lindas declarações de casais na minha timeline (a data é comercial mas você pode espalhar um pouquinho mais de amor nesse mundão, melhor), mas o que mais domina é uma notícia triste: Um massacre em uma boate LGBT em Orlando, o maior da história dos EUA. E o que afinal essa notícia tem a ver com o dia dos namorados?

13415408_1168739519814403_3910633162659395839_o.jpg

Propaganda da Boate Pulse, em Orlando

Tem a ver com poder amar quem se quiser! O autor dessa atrocidade tinha visto um casal se beijando na rua, e segundo seu pai, ficou enfurecido, o que se pressupõe um crime de ódio. Ainda segundo a família, ele não era religioso (muçulmano, no caso), mas estão investigando ligações com o Estado Islâmico.

Seja pelo ódio simples, seja a lavagem cerebral feita por conceitos religiosos distorcidos e transformados em discurso de ódio, estamos diante de pessoas que não toleram o que elas acreditam ser “anormal”, ou o que foge daquilo que uma sociedade hipócrita pré-determinou. E o que nós temos a ver com esse ato extremo, que parece tão distante de nós? Precisamos lembrar que esse ato extremo não é tão distante de nós, já que o Brasil é um dos países onde mais se mata LGBTs por dia, apenas por serem quem são. E não temos, ainda, terroristas do EI por aqui.

sub-buzz-28715-1465751121-1

Pessoas na porta da Boate Pulse em Orlando

Precisamos repensar atitudes homofóbicas pequenas, mas que ferem LGBTs e são preconceituosas. Esperamos que demonstrações de afeto, ou até mesmo sua existência fiquem longe de nossas vistas, para que possamos viver nessa utopia falsa de apenas aceitar o que foi determinado pela sociedade como normal e aceitável. Queremos que a travesti, a lésbica masculina, o gay afeminado (dos homens trans, nem acreditamos em sua existência), as pessoas bissexuais, fiquem escondidos para não esconder nosso egoísmo! Perceba que esse crime, foi cometido principalmente por conta de um beijo (algo comum e que casais héteros podem fazer à vontade).

2jun2013---mulheres-se-beijam-durante-a-17-edicao-da-parada-gay-de-sao-paulo-realizada-na-avenida-paulista-regiao-central-da-capital-1370198684800_956x500Geralmente, para disfarçar, dizemos que “casal hétero se pegando demais também é feio”, mas nunca os repreendemos, apenas lançamos olhares tortos, mas se um casal homo está de mãos dadas, acreditamos que aquilo é uma afronta, um absurdo. A piada que você faz e internaliza como pessoas inferiores, dizendo que aqueles que o são, são menos “pessoas” do que os outros, também é um problema, apesar de ser inofensiva.

Levanto aqui o direito que as pessoas têm de amarem quem quiserem, na hora em que quiserem e poder demonstrar seus afetos. E isso é lindo, não uma coisa chocante e abjeta que você precisa esconder debaixo do tapete. O que mais me espanta é que com esse ato, se quer não só negar o direito de pessoas serem amadas, mas o direito dessas pessoas simplesmente existirem. Serem quem são.

screen-shot-2015-10-11-at-10-40-50.png

Enquanto não nos repensarmos, e pensarmos nas atitudes menores que sejam, nunca vamos evitar que crimes como esse aconteçam, já que relegamos a segundo plano e nunca nos educamos em sermos empáticos com as pessoas.

29mai2016---com-uma-placa-com-os-dizeres-nasci-assim-manifestante-diz-que-nao-e-hetero-nem-gay-nem-transsexual-mas-humano-o-ato-foi-registrado-na-20-parada-do-orgulho-lgbt-realizada-em-sao-paulo-1464538590975_1920x1281

E é isso que falta, empatia, parar de dizer coisas como “não aceito” e achar que é só sua opinião, porque a sua opinião é discurso de ódio e se alinha muito bem com o pensamento criminoso do americano. Você não é obrigado a aceitar, é obrigado a respeitar as pessoas que convivem nesse mundo com você. E lembrando que a sua aceitação, não é tão importante, guarde-a pra você.

 

By: Taís Nascimento

Pessoa linda que tirou um tempinho pra ler: Você

 

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s