Cuidando da sua tattoo

Você tatuador, já pensou quais produtos são mais legais para usar em seus clientes? Quais vão ser melhores para deixar seu trabalho ainda mais incrível. E quem acabou de fazer sua tattoo e quer saber como cuidar e mantê-la como se fosse nova? Vamos te explicar um passo a passo com os produtos maravilhosos da Long Life Tattoo.

Alô tatuador, como você prefere colocar o decalque?

Tem três produtos que você pode escolher o que mais gosta:

O transfer formato Stick

14012508_659450484210006_1929513708_o (1)

O formato Creme

content_id.png

 

E o formato Loção

transfer valvula

 

Todos eles com ótima fixação! Para usar se deve aplicar um pouco, espalhar, aplicar o decalque e esperar secar para começar a tatuar.

E tem vaselina para a agulha deslizar e estancar o sangue?

Tem sim! A Long Life Tattoo tem a Fresh que é uma vaselina de pureza grau farmacêutico, com ativos de cravo e menta que ajudam a aliviar a dor do tatuado (importante isso!)

Vasellyn 1.png

Durante o procedimento, é necessário limpar um pouco a área para continuar e ao invés de usar o borrifador, use o sabonete mousse, que além de fazer a limpeza, tem hammamelis, aloe vera e hortelã, que ajudam a aliviar o inchaço e vermelhidão da pele.

DSC_0305.png

E agora, José? Acabou a tatuagem! Chegou a vez de você, tatuado, cuidar direitinho da sua linda arte na pele, usando o Fresh Skin, que hidrata a tattoo e auxilia na cicatrização, ao mesmo tempo, já que tem D-Pantenol e óleo de andiroba.

Este slideshow necessita de JavaScript.

E depois da cicatrização não pense que os cuidados acabaram. A Long Life Tattoo tem uma lina de hidratantes para cuidado diário, com alta hidratação, que faz com que as cores da tattoo continuem bonitas e impedindo o envelhecimento precoce da pele.

 

Este slideshow necessita de JavaScript.

Sua pele está hidratada, que tal um protetor solar? Com FPS 54 (alto fator de proteção) e toque seco, o seu ativo é café verde e não tem cheiro forte. Ou você é mais prático e prefere hidratação junto com o filtro solar? Tem também! O Hidratante com fotoproteção é para você , também com ativo de café verde, toque seco e sem perfume forte.

Protetor Solar FPS 54 - dai.pngHidratante FPS 30 (1)

 

E para chamar ainda mais atenção nas festas, temos o iluminador de tatuagem, que proporciona hidratação e tem mica, deixando a tatuagem brilhante,na cor rosa, enquanto durar o efeito do creme.

Stars

Agora que você conheceu um pouquinho mais desses produtos, vale a pena passar na página da Long Life Tattoo no Facebook, ou no Instagram deles (fotos lindas, eu prometo no @longlifetattoo), ou ir ao site, vale muito a pena conferir e usar os produtos, seja como tatuador ou como o tatuado.

 

By: Taís Nascimento
Pessoa linda que leu: Você

 

 

 

As coisas parecem estar meio trocadas, não?

A cada vez que um caso de estupro, abuso, qualquer crime relacionado à sexualidade vem à tona, sabemos que teremos uma enxurrada de pensamentos problemáticos.

garota-envergonhada

Tornamo-nos afogados por comentários e pensamentos que parecem comuns e até mesmo aceitáveis (o que não deveria ser): “Mas, ela não deveria usar calças assim”, “Também, estas meninas parece que procuram”.  Existem ainda os casos em que as pessoas acreditam que a denúncia seria inventada, pois “existiriam mulheres que querem ferrar com os homens” ou “fizeram sexo e se arrependeram”.
Quanto à última parte, parece que aqueles que têm este tipo de ideia acreditam que mulheres são seres enganadores e que fariam isso apenas para prejudicar os homens. Primeiro, é inaceitável que ainda usemos o mito de Eva para acreditar que tudo relacionado ao feminino é traiçoeiro, perigoso, maldoso (maniqueísta) e que qualquer mulher quer colocar uma culpa falsa por ciúmes, inveja, ou orgulho por ter sido abandonada. Lembrando que antes de investigação não dá para se cravar com tanta certeza a inocência do acusado e que há casos (em menor escala do que se acredita) em que realmente a declaração da vítima é falsa. Outro ponto a ser feito é que quando se imagina que a acusação é falsa, estamos pensando primeiro na suposta reputação do acusado e não necessariamente no sofrimento da vítima. Além do que, é bastante complicado que alguém passe por todos os exames e questionamentos vexatórios da nossa justiça apenas para colocar a pecha de estuprador em alguém.

nos-sofremos-abuso-hm-5

Já em relação a colocar a culpa ou dizer que houve facilitação, além da falta de respeito é também pôr mais uma vez a carga de um crime em cima de alguém que deveria ser protegida. Desde quando roupa, comportamento ou quantidade de drinks é incentivo a um crime assim? Temos de parar de acreditar que qualquer coisa sutil é um convite para algo e perceber que quando alguém diz não, significa realmente não (chega de acreditar que “ela disse não querendo dizer sim”). Precisamos parar de acreditar que a suposta “natureza masculina” é predatória e vai atacar qualquer pessoas, pensando assim, estamos transformando conhecidos e desconhecidos em “supostos estupradores”. Também precisamos pensar que aquela garota extrovertida, com roupas que você considera pequenas (decotadas, justas, ou seja lá o que for) não está necessariamente se colocando em uma vitrine para ser “consumida”, ela é uma pessoa.
É necessário que se coloque no lugar de quem deve ser realmente protegida, a vítima e não causar mais constrangimento e fazer a pessoa sofrer.

By: Taís Nascimento

Pessoa linda que leu: Você

Vamos falar de TABUS: Identificação de gênero X Orientação Sexual

Tem um monte de diferenças sobre como a pessoa se identifica e qual a orientação.

Identificar com o quê? Neste caso, iremos falar sobre a identificação de gênero, isto é, se ela se identifica com gênero masculino ou feminino, com os dois ou nenhum dos dois.  Como assim?

A pessoa que se identifica com o gênero que nasceu, é chamada cis, isto é, a pessoa nasceu designada por um sexo biológico e está OK com isso. Já a pessoa trans, não se sente adequada aos papéis que são designados ao sexo que ela nasceu.

Exemplo – João nasceu menino, porém o sexo biológico não corresponde ao psicológico, logo ele terá de fazer terapia (tratamento psicológico, hormonal etc.) para se adequar ao gênero em que ele se reconhece. E, a partir do momento em que acontecer a nova identificação deverá ser tratada com o pronome feminino (percebeu a mudança aqui? ;)).  Lembrando que pessoas trans podem também mudar seus documentos e exigir tratamento com o nome social.

Existem ainda as mulheres que não se sentem de acordo com seu gênero e fazem a transição também, devendo ser identificadas como homens. E algumas pessoas também escolhem não fazer toda a transição.

Há também as pessoas que não querem se identificar com nenhum dos gêneros e também temos as pessoas que se identificam com os dois e podem ainda variar sua identificação ao longo da vida conforme sua vontade.

Esta aqui abaixo é a bandeira do orgulho transgênero:

Transgender_Pride_flag

Já a orientação de gênero é como lidamos com a nossa sexualidade. E é aí que entram as “categorias” que conhecemos (umas mais, outras menos): bissexual, heterossexual, homossexual e o assexual.  Aí vai o resuminho:

Bissexual – os que se interessam por homens e mulheres

Heterossexual – se interessa pelo sexo oposto

Homossexual – se interessa pelo mesmo sexo

Assexual – se sente indiferente à prática sexual (mas ainda assim, dentro desta categoria temos os que se apaixonam por homens ou mulheres).

Esta é a bandeira do Orgulho LGBT (que inclui lésbicas, gays, transexuais e transgêneros)

Lembrando que transexualidade não necessariamente interfere na orientação sexual e se identificar com um gênero, não vai fazer a pessoa obrigatoriamente gostar do outro.

Parece complexo, né? Mas é aí que entra uma coisinha: respeito! Se aprendermos a respeitar as diferenças, conseguimos entender com mais tranquilidade. Além do que, não custa parar de chamar mulheres trans de travecos ou traps, por exemplo, né? E não vai doer chamar a pessoa pelo seu nome social ou por pronomes de acordo com a sua identificação.

P.S.: Se alguma pessoa trans quiser falar algo, manteremos o espaço aberto, lembrando que eu como pessoa  cis, só quero explicar algumas coisas, sem roubar protagonismo de ninguém.

Referência: Site da PL122  Aqui– consultado em  19/08/2015

By: Taís Nascimento

Pessoa linda que leu: Você

Diário de Bordo – Tattoo Week – Taís

Olá, pessoal! Saí da revisão e vim aqui contar minhas experiências para vocês! Espero que gostem, <3!

IMG_6490

Infelizmente não pude comparecer na sexta-feira, mas fiquei acompanhando por fotos, posts e torcendo para que tudo ficasse OK! E pelos relatos das meninas, parece que foi.

IMG_6557 (1)

IMG_6512

IMG_6534 (1)

Sábado: o dia! Já fiquei ansiosa pois não iria estar apenas como visitante, iria estar  como parte do blog, logo a atenção e a responsabilidade deveriam ser bem maiores. Assim que chegamos  e dividimos algumas responsabilidades, lá fomos nós tirar fotos com algumas pessoas legais do evento (não dava para dizer que eram as mais legais, já que não vimos todo mundo), além disso entrevistei algumas pessoas sensacionais que adorei conhecer, como o: Zombiepunk Kurt.

IMG_6488

Em relação a stands, tudo bem organizado e achei interessante a divisão, inclusive as alas com nomes de ruas e avenidas da cidade de São Paulo, tornou tudo mais interessante. Acabei não resistindo e durante as rondas acabei comprando uma tiara com orelhas de gato (sim, eu sou um poço de maturidade).

11751799_1012113488845284_2354195147245256355_n

Quanto ao pessoal mais conhecido que conseguiu andar por lá, acredite, todos estavam acessíveis e conversavam com quem parasse para falar com eles, ninguém “estrelou”. No final das contas, todo mundo foi bem simpático.

Domingo já deu para aliviar um pouco da adrenalina e da ansiedade. E a partir daí foi bem mais tranquilo falar com as pessoas, tanto para fotografar, quanto para entrevistar (inclusive ir falar com o Sanduba Insano na fila da bebida :P).

11816114_889842924423649_743815939598223273_o

IMG_3208

IMG_6505

Como a primeira experiência de imprensa, foi incrível, talvez melhor do que como visitante. Não foi? Perdeu um monte de coisas legais…Mas, quem sabe no ano que vem?

 

IMG_2916

 

 

11145142_1013178528738780_1248675724857119419_n

 

P.S.: Sim nesta última foto são as meninas. Não, não estou aí. 😛

By: Taís Nascimento

Pessoa linda que leu: Você

Tattoo Week SP 2015 #01 O homem quadriculado ?!?!

Com a proximidade da Tattoo Week, além de encontrar os amigos, ou fazer bons negócios, também ficamos ansiosos para saber quem serão as “celebridades” que virão de fora para a convenção.

Claro que você vai responder: “A Megan Massacre”! Sim, ela também virá, estará linda como sempre e dará ar de sua graça nos três dias, além, é claro, de ser uma das juradas no concurso de Miss Tattoo Week.

Porém, outro que estará em terras brasileiras é Matt Gone, também conhecido como tabuleiro de xadrez humano, ou homem quadriculado. Tem gente que já sabe de quem estamos falando e tem gente lendo isso e se perguntando: “Quem é esse cara?”

Peraí que a Tatá já te explica: Matt Gone é um dos homens mais tatuados do mundo, segundo seu próprio site, ele tem 98% do seu corpo coberto por tattoos. A maior parte delas, baseada na roupa “quadriculada” do arlequim.

Obs.: Um dia, quem sabe, eu explico a história do Arlequim e tudo mais… 😉

Além da porcentagem de tattoos, ele também diz que foi tatuado por mais de 80 artistas diferentes ao longo da vida!

Confira abaixo algumas das tattoos do moço:

 

Ficaram curiosos para vê-lo de pertinho? É só chegar na Tattoo Week, que vai acontecer nos dias 24,25 e 26 de julho na Expo Center, que fica na Zona Norte de São Paulo.

Serviço:

Data: 24,25 e 26 de julho

Horário: 13h às 22h

Local: Expo Center Norte – Pavilhão Azul

Endereço: Avenida Otto Baumgart, 100 – Vila Guilherme (Zona Norte), São Paulo.

Ingressos: no local do evento e no site

Valor: R$ 40,00 (inteira)/R$20,00 (meia)

Informações: (11) 4226-2157/ (11) 98264-0445

E-mail: imprensa@tatooweek.com.br / imprensa@ebcross.com

By: Taís Nascimento

Pessoa linda que leu: Você

Roupa curta, sair com quem quiser? Quem ela pensa que é?

Quando se vê uma menina com uma roupa curta, beijando várias pessoas em uma balada, ou seja, lá o que for, vai ter sempre alguém pra dizer: “vadia”, “sem-vergonha”, “não se dá ao respeito”.

Quanto às roupas, isto vem de acharmos sempre que temos de ficar resguardadas, nos cobrindo, uma ideia de preservação um tanto antiga em que achamos que nossos corpos são apenas para a sedução e que isso é errado. Mas temos de nos lembrar de que nem sempre há a intenção de provocar algo no outro, as pessoas usam roupas curtas, muitas vezes porque se sentiram bem ou bonitas. Roupas não são convites a nada, só apenas roupas.

Quanto àquela menina que saiu com um ontem, outro hoje… Qual o grande problema, em que isto te afeta? Estamos tão acostumados a tomar conta da sexualidade de mulheres e de cobrar que elas ajam de acordo com um padrão da sociedade, que nos esquecemos de que as ações dela não interferem em nada na sua vida. Fazendo este tipo de cobrança ou vigilância, estamos apenas reproduzindo preconceitos de épocas antigas (em versão 2.0).
Sempre que entramos neste tipo de assunto, alguém diz que “mulher tem de se dar ao respeito” ou “respeitar a si mesma”. Mas já parou pra pensar que é você quem está incomodado (a)?

Já que a moça decidiu usar o que quiser e fazer o que quiser e está agindo conforme a vontade dela? Não tem essa de se dar ao respeito, cada um que respeite as escolhas do outro.

Matéria: Taís Nascimento
Pessoa linda que leu: VOCÊ!