Compra de um sutiã, a saga

“Opa! E ai, sua despeitada?” “Não temos nada pra você aqui…” Que isso jovem!?

Espera ai! É assim que me sinto quando vou comprar sutiã. Tenho seios pequenos e isso é um martírio nos dias atuais, estamos em épocas nas quais S I L I C O N E é fácil, prático e acessível… Pra quase todas, mas e a parcela que não pode ou não quer? Pegue seu melhor calçado e caminhe, para caralho caramba, pra achar uma lingerie que te sirva, tá achando que é brincadeira, né? Não, não é, os bojos (amigos inseparáveis de girls como eu) são fabricados para mulheres com seios mais avantajados.

Quando começa a novela: “Pequenas tetas”, os bojos acabam virando inimigos, afinal os pequenos seios se perdem em meio ao eco existente entre o peito e o sutiã, ficam ali parados esperando um contato, um amiguinho que os sustentem mas só encontram o vazio. E os de pano? Aquela sobra ridícula de tecido nada sexy! Pois é, nas ditas “lojas de departamento” está cada dia mais difícil comprar uma lingerie sexy para agradar o boy magia…

Mas, não percamos a esperança, ainda existem peças que favorecem as menos favorecidas (sim, isso foi um trocadalho, digo trocadilho), confira aí alguns modelos legais para quem tem seios pequenos:
strappy-bra-3.jpg (650×600)
1 e 2 São bem legais para usar com Tshirts largas, pois eles sustentam os oprimidos e valorizam nossa silhueta.
3 é interessante usar com camisetas cavadas pois tem bojo e caimento que não marca a peça.
4, 5, 6, 7, 8 e 9 são peças coringas, ficam legais com qualquer roupa, desde as que mostram um pouco da lingerie até as fechadas, pois são sexys e confortáveis ao mesmo tempo!
Strappy+bra.jpg (1600×671)
Esses acima são strappy bra, é um sutiã com tiras em várias posições na área do colo ou nas costas que criam desenhos geométricos no corpo, já que não podemos abusar do decote avantajado, vamos aproveitar da silhueta que permite uma bela disposição das tiras!
E para finalizar nossa matéria, pra vocês terem uma noção de como o assunto “sutiã perfeito”, é complicado, uma animação foi criada por uma marca de lingerie *Triumph*, a animação retrata a busca da princesa pelo seu par perfeito, o sutiã!
Ficou curioso? Confere ai a animação:
https://youtu.be/vm5N6d-O0kk
“E os sutiãs são feitos pra ninguém, para as peitudas só tem de velha ou bege. ” palavras da nossa revisora Taís Nascimento, uma tequileira que também encontra suas dificuldades na hora de ir as compras!

Matéria By Tiah Tequilah

Anúncios

Quem é o COVEIRO MALDITO!

Sabe aquela galera TODA TATUADA que te faz ficar vidrado na rua, no metrô, na condução ou na fila da padaria?
Aquele tipo de gente que quando a gente vê, a gente não consegue parar de olhar!
São tantos traços, cores e desenhos que NÃO TEM COMO DESVIAR O OLHAR! Pois é a gente rolou uma ideia bem bacana com o “Coveiro Maldito”, personagem mais que intrigante que tivemos o prazer de conhecer em uma convenção, advinha de que? De tatuagem é claro meu bem! Confere ai o bate papo entre ele e a Tequila Girl:
10873394_381563475358687_5585223385486522217_o

1- Como surgiu o Coveiro Maldito?

Coveiro Maldito: Coveiro maldito surgiu por um trabalho que tive em minha vida, trabalhei em um I.M.L no período de 1 ano nesse tempo eu fui desenvolvendo uma outra personalidade um pouco mais fria e acompanhei algumas autópsias também, então, veio na minha mente como um tiro. Posso fazer umas tatuagens em formas de autópsia mostrando meus órgãos. Não tive intenção de criar um personagem; A princípio queria um trabalho artístico bonito em meu corpo e nada mais.

2- Há quanto tempo existe o Coveiro Maldito? Você vive o personagem 24 horas?

C.M.: O Coveiro já existe há 4 anos. Não, eu tenho uma vida paralela ao personagem, também sou uma pessoa bem reservada.

3- Consegue conciliar sua vida com o personagem? Pois o Coveiro tem sua própria personalidade.

C.M.: Sim, consigo. Apesar do meu lado negro, digamos tomar muito meu tempo. Mas não se engane sou uma pessoa do bem em termos (risos). Em convenções ou em meus projetos com o Coveiro eu sou outra pessoa as vezes até eu me assusto mesmo com o que eu posso fazer são 2 caras iguais porém diferente em um mesmo corpo.

4- Acompanhamos teu trabalho em Convenções e tens muitos fãs. Como lida com isso? Algum fã já quis saber quem tu és; Já te seguiu?

C.M.: Sim já. Duas garotas em uma convenção uma vez resolveram me seguir, eu logo me toquei e desviei o caminho; Lembrando que chego ao evento de máscara e só saio do evento de máscara.

5- Qual a tatuagem mais significativa e que melhor o descreve?

C.M.: O conjunto me define muito bem; Mas se fosse para eu escolher, eu escolheria os lugares que mais doeram para ser feitas, como dentro das axilas e cabeça.

6- Qual a reação das pessoas quando te veem? Como você vê a reação delas?

C.M.: Eu consigo tirar muita coisa das pessoas, como admiração, raiva, tesão; Enfim, cada um tem seu jeito de demonstrar. O medo é o que eu mais gosto; É doce, assim como um pecado capital.

7- Alguma mulher já pediu pra que você realização alguma fantasia?

C.M.: Sim, Já sim! Algumas pedem para ser possuída por mim a caráter. Eu sou do BDSM também, gosto de amarrar e fazer o que tiver para ser feito para satisfazer a pessoa por completo.

8- Quanto a questão preconceito: Já sofreu ou sofre algum tipo de preconceito?

C.M.: Sim sofri males no tempo que trabalhei no I.M.L. Por lidar com a morte todo dia tinham pessoas que sabiam que eu trabalhava nisso, nem pegavam na minha mão com medo; Bem,

sempre tive o apelido de Coveiro, desde adolescente por transar em cemitérios, aí o coveiro entro no I.M.L; Já imaginou a reação das pessoas? Mas, em relação a Tattoo nunca tive.

9- E como você vê a “morte”? Pois o Coveiro não deixar de fazer alusão a “morte”.

C.M.: Vejo como a verdade, o descobrimento da verdade e um novo recomeçam. Não tenho medo da morte, lidei muito com a morte. Várias pessoas já passaram em minhas mãos para cuidar; Desde mulheres, homens, senhores de idades; Mortos de muitas maneiras diferentes. No início foi difícil, não vou mentir. Por isso que a outra personalidade veio para prevalecer forte, ter respeito acima de tudo e não ha o que temer e sim respeitar.

10- E como você se vê?

C.M.: Eu me vejo capaz de fazer qualquer coisa; Porque tenho capacidade e sou livre de pudores religioso ou físico. Muito menos; Não me importo com o que as pessoas vão dizer, ou tentar me julgar. O importante é o meu bem estar; Me vejo feliz do jeito que eu sou.

Pois é galera, agora vocês conhecem um pouco mais desse personagem que pode povoar seus medos ou seus desejos….
Veja mais fotografias e fique por dentro das proximas “aparições” do coveiro, siga a FanPage Dele: Coveiro Maldito The King Of FreakShow

 Entrevista por: Fran Cerezer

ETHEL M GRANGER…tight-lacing

A mulher com a menor cintura do mundo tornou-se um ícone da moda e de fetiche sexual. Ethel Granger, tight-lacing ao extremo, inglesa de Peterbough, reduziu durante 54 anos a circunferência de sua cintura, chegando a atingir 33 cm.

A historia de Ethel Granger iniciou com os pedidos do marido Willian , ele tinha o desejo de abraçar a cintura da sua mulher , e após tanta persistência ela começou a ceder ao desejo do marido.

Will Granger escreveu uma biografia sobre a vida e privacidade de Ethel e em uma passagem faz uma pertinente colocação: “As tendências da moda mudam e nós também”. Will relata que convenceu Ethel a usar espartilhos apenas durante o dia no início e posteriormente, estendeu para as noites.“Se Ethel conseguiu superar as demais mulheres de alguma forma, essa é uma vitória que valeu qualquer sofrimento”, descreve Will na biografia.

O processo de transformação perdurou durante anos mas as transformações de Ethel Granger não ficaram apenas com o espartilho , Ethel usava sapatos com saltos altíssimos e tinha perfurações (piercings) nas orelhas, nariz e mamilos e algumas tatuagens .

O casal permaneceu unido até 1974, quando Will faleceu. Ethel continuou a praticar tight-lacing e entrou para o Guinness Book com a menor cintura do mundo. Morreu em 1982, tendo se apertado até o fim.

 

 

 

Bjus atéa próxima

By Fran_Cherry

https://www.facebook.com/fran.cerezer

 

 

 

Lola Benvenutti a “nova” Bruna Surfistinha.

Sucesso na web, a garota de programa e blogueira  Lola Benvenutti, de 21 anos, segue os passos de Bruna Surfistinha, que teve a história contada em filme.

Em entrevista ao Ego durante ensaio para o Paparazzo, a jovem diz que já perdeu a conta de quantos homens com quem foi para cama. ”Foram muitos milhares, mas nunca contei.
Lola-Benvenutti-testosterona
Já passei de mil há muito tempo. Faz a conta: dez por dia, em um ano, já são mais de 3 mil.

E antes de cobrar, já tinha muitos na conta”, brinca Lola, que na verdade se chama Gabriela Natália Silva.

Com a fama conquistada através da internet, ela afirma ainda que cobra R$ 350 por hora.

“Desde que a minha história explodiu, aumentou muito a demanda e precisei subir o preço para dar conta.

lola3

Hoje, cobro R$ 350 por hora. Poderia até cobrar mais, mas acho esse um valor legal, que permite aos clientes voltar sem pesar tanto no bolso”.

Antes de virar garota de programa, ela dava aulas de português e sua hora não passava de R$ 10.

Apesar de ser apontada como sucessora da Surfistinha, Lola não gosta das comparações.

“Temos a mesma profissão e um blog. E só.

Acho natural essa associação, mas temos estilos e histórias muito diferentes. Nunca quis ser uma Bruna.
lola1
O blog era o que eu tinha na época para fazer esses relatos.

Não tenho nada contra ela, mas são pessoas diferentes.

lola2

Será que sempre que surgir uma cantora de axé, vão comparar com a Ivete Sangalo?”, questiona.

Nota Menina Veneno Sabor Tequila: 

Além de muita coragem de expor a sua realidade, a Lola é belíssima, tem uma beleza diferente do que estamos acostumados, particularmente acho lindas as garotas com modificações corporais.
Para mim a profissão de garota de programa é tão valida quanto a minha e a sua (leitor), cada um faz da sua vida o que achar interessante e valido desde que não prejudique ninguém qual o problema?
As casadas podem chiar um pouco sobre isso mas pense bem: Muitos homens tem fetiche por garotas de programas e outros não tem em casa o que uma garota de programa pode oferecer… Sabe aquela posição mais ousada, ou aquele oral caprichado? Pois é se você negar todo o dia, uma hora ele acha quem o faça.
Mas esse não é o caso, estamos aqui para publicar informações válidas e pertinentes, e acredito que o “Diário de uma garota de programa” é algo que desperta certa curiosidade em homens e mulheres.
Espero que tenham curtido a matéria que foi retirada do blog Testosterona e a parte da nota fica por conta do “Menina Veneno Sabor Tequila.”